Analógico X Digital

Logo no início da nossa pesquisa, constatamos que para atender de forma mais plena a nossa poética, era necessário desenvolver sistemas que processassem o som de forma analógica, fazendo assim com que o som que ouvimos fosse mais completo, já que o som analógico é tecnicamente infinito enquanto o som digital está fadado a ser limitado, mesmo que com intervalos cada vez menores.

E assim fizemos, fugimos do processamento digital do som (caminho que sempre pareceu mais fácil).

E conseguimos achar esses caminhos satisfatórios com processamento analógico : )))

Porem estamos em plena pandemia, e o uso dos meios digitais como troca é cada vez maior, entre eles está o núcleo de pesquisa nano e o evento HIPERGÂNICOS: que é um Laboratório aberto experimental e colaborativo, que terá sua edição em 2020 totalmente digital, então para participarmos do evento iniciamos uma pesquisa para novamente buscar novos caminhos, como levar o resultado sonoro desta obra para o meio digital sem perder sua essência e sua poética?

Será possível? Vamos fazer uma obra derivada? Vamos conseguir captar e enviar o som sem abafar as modulações mais sutis?

Por enquanto temos perguntas, vamos agora atrás de mais perguntas.

Últimos Posts