Author
Lacerda

Arte Tecnologia e Educação, part. 1

As escolas não deveriam ser o que se tornaram hoje, estacionamento ou depósitos de crianças, um lugar relativamente seguro onde posso deixar meu filho para que eu possa trabalhar, ou apenas um preparatório para a faculdade. A escola poderia e deveria ser um lugar magico onde se desperta mentes para o futuro, e não um espaço que se parece com um preparatório para prisões e fabricas, em suas grades, segregação de etapas de montagem e horários definidos.

“Arte como fenômeno de campo”

Os professores do Paola Barreto e Cristiano Figueiró recebem em suas turmas de Tópicos Especiais de Arte e Tecnologia o artista pesquisador Guto Nóbrega, coordenador do NANO Núcleo de Arte e Novos Organismos do PPGAV-UFRJ. O professor convidado propõe a conversa “Arte como fenômeno de campo”, onde trata do conceito de Hiperorganismo e aborda questões que considera importantes para transcender a relação com a técnica no seu acoplamento com o vivo.

Resultados

Produzimos uma série de circuitos eletrônicos com o intuito de promover a interatividade entre os corpos e o som captado pelos sistemas; um modelo 3D, em foto e interativo de como ficará nossa instalação; e (3) a apresentação no Congresso Virtual UFBA 2020[1]. Além disso ainda estamos finalizando a escrita de (4) um artigo científico.

Materiais e Métodos

A pesquisa trabalha diretamente sobre a questão da materialidade dos meios eletrônicos – seja a materialidade sutil das frequências eletromagnéticas ou a materialidade densa dos circuitos integrados. Estas estão também associadas à materialidade orgânica das flores secas e de nossos próprios corpos, tendo a modulação de campos eletromagnéticos como fio condutor.

Introdução

A plasticidade dos fenômenos relacionados aos campos eletromagnéticos é fato que tem interessado tanto cientistas quanto artistas desde a sua definição no final do século XIX. É com o interesse por explorar esteticamente suas propriedades que iniciamos, a partir de um circuito eletrônico simp